aronax animação.jpg

VINTE MIL LÉGUAS SUBMARINAS

O espetáculo Vinte Mil Léguas Submarinas é a sequência criativa e técnica do espetáculo anterior do Giramundo, Pinocchio (2005). Baseado na novela do francês Julio Verne (1828-1905), o espetáculo traz, com mais força do que em Pinocchio, um diálogo com outras vertentes artísticas – especialmente o cinema, mas também há espaço para os quadrinhos e as artes gráficas.

Vídeo animações em stop-motion e computação gráfica ajudam a complementar os cenários e as cenas com bonecos. Além disso, a trilha sonora, composta por música clássica, dita de forma contundente o ritmo da peça, que tem menos diálogos e textos do que a maioria dos outros espetáculos já criados pelo grupo.

Vinte Mil Léguas Submarinas não foi um título escolhido por acaso pelos diretores do Giramundo, quando aprovaram na Lei Federal de Incentivo à Cultura a produção de um novo espetáculo. A trupe de teatro de bonecos queria montar um texto que levasse a plateia à reflexão, e chegaram ao consenso que o romance de Julio Verne tinha esse caráter imaginativo que buscavam. Além disso, a obra francesa travava uma relação com a montagem
anterior, Pinocchio, e com a futura, Alice no País das Maravilhas, que tem pré-produção prevista para o segundo semestre deste ano. A trilogia, como os diretores do Giramundo passaram a chamar os três espetáculos, têm em comum o desejo de poder.

Marcos desenhando-Foto Nathália Gomes-7097.JPG

Em cada um deles o poder é diferente, bem como a maneira para consegui-lo, algo que faz parte do mundo contemporâneo que vivemos

Marcos Malafaia

giramundo_foto marcos malafaia 04.jpg

trilogia

IMG_7908.jpg